Leia o que foi deletado da internet

A web tem uma característica que tira o sono dos historiadores: a volatilidade. Guardar a memória da rede mundial de computadores é justamente a missão do Internet Archive. Desde 1996, ele disponibiliza cópias de inúmeros sites por meio do endereço Archive.org.

Mantido por uma ONG de San Francisco, nos EUA, o projeto utiliza uma tecnologia chamada Wayback Machine (Máquina do Tempo). Desenvolvido em parceria com a Alexa, empresa especializada em monitorar o tráfego da web, o sistema captura cópias dos sites e deposita as informações num gigantesco banco de dados com consulta gratuita. Atualmente, a base do Archive.org possui mais de 305 bilhões de páginas catalogadas.

O escopo do projeto vai além dos sites: tenta garantir vida longa a documentos e mídias ameaçadas de desaparecer, como softwares, games, livros raros e discos em 78 rotações. Não à toa, o site é considerado uma versão high tech da Biblioteca de Alexandria – maior centro de conhecimento do mundo antigo.

Confira nossas dicas para usar esse verdadeiro DeLorean virtual e passear pela era da inocência da internet. Ele não chega a incluir o Orkut ou o Facebook, mas quem sabe as fotos daquele seu flogão perdido no tempo ainda estejam dando sopa por lá?

Sites

Você deve digitar a URL desejada no campo de busca. O Archive.org vai lhe mostrar uma linha do tempo dos últimos 21 anos e um calendário com datas marcadas em azul. Esses são os dias nos quais a página foi fotografada pela Wayback Machine.

O site da SUPER, por exemplo, tem mais de 2 mil capturas. A primeira é de fevereiro de 1998, com a manchete Guerra no Mercosul, sobre a Guerra do Paraguai. Esse registro é anterior ao arquivamento mais antigo do Google, feito em novembro do mesmo ano, quando o buscador ainda não passava de um protótipo.

Você pode fazer buscas por assuntos ou incluir arquivos e sites. Para isso, digite a URL a ser salva no campo “Save Page Now”. E, se você encontrar algum conteúdo particular e quiser retirá-lo (algo embaraçoso que você tenha escrito, por exemplo), basta entrar em contato com o site e fazer o requerimento.

Softwares

Há uma coleção de softwares de 1970 e 1980, como o Lemonade Stand – aplicativo de matemática distribuído com o Apple II, computador lançado pela empresa de Steve Jobs em 1977. Também é possível encontrar versões iniciais de ferramentas como o Corel Draw 1 e o Photoshop. Você pode fazer download dos programas ou rodá-los direto no site.

Games

O Internet Archive oferece mais de dois mil games em MS-DOS, além de jogos de fliperama e cartuchos raros das primeiras gerações de consoles, como Atari e Odyssey. Um dos games mais curiosos é Emanuelle, de 1989, inspirado na protagonista de filmes eróticos que fazia sucesso entre adolescentes há 20 anos. Ambientado no Rio de Janeiro, o jogo roda em MS-DOS e pode ser acessado pelo emulador.

Áudio e vídeo

O baú da web também resguarda a memória do rádio e da televisão mundial. A maior parte dos conteúdos está em inglês e inclui programas de rádio norte-americanos dos anos 1940. Outro projeto é digitalizar todos os discos de 78 rotações existentes no mundo, a fim de garantir os registros antes que as mídias físicas sejam deterioradas pelo tempo.

Livros e textos

A Open Library é um catálogo com mais de 23 milhões de obras já publicadas de forma analógica ou online. Essa lista contém cerca de 1,7 milhão de livros gratuitos para download, incluindo edições de domínio público ou títulos inseridos no sistema pelos próprios autores. A maior parte está em inglês, mas existem documentos em português – alguns deles bem antigos, como um conjunto de crônicas sobre o Brasil publicado pela Academia Real das Sciencias, de Portugal, no século 18.

Imagens

A biblioteca de imagens do Archive.org é dividida em uma série de coleções que vão desde fotos do século 19 até registros do sistema solar feitos pela Nasa, passando por mapas e GIFs animados do início da internet.

A MEMÓRIA DA REDE EM NÚMEROS

305 bilhões de páginas

11 bilhões de sites

4 milhões de gravações de áudio

1 milhão de imagens

11 milhões de livros e textos digitalizados

3 milhões de vídeos

100 mil softwares e games

 

Qual sua opinião sobre este assunto?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *