Secretaria de Saúde interdita fábrica que vende óleo com rótulo de azeite

A Secretaria Estadual de Saúde (SES) interditou, na manhã desta terça-feira (25), ao menos cinco empresas por venda de óleo de soja ou óleo misto como se fossem azeite de oliva virgem ou extra virgem. A Vigilância Sanitária é a responsável por retirar dos supermercados da capital os produtos irregulares.

De acordo com a SES, amostras dos produtos foram analisadas pelo Instituto Adolfo Lutz, que comprovou que os azeites eram óleo de soja. 

Secretaria Estadual da Saúde interditou cinco empresas por vender óleo de soja como azeite (Foto: Reprodução/TV Globo)

As fábricas Olivenza indústria de alimentos, de Mongaguá, Natural Óleos Vegetais e Alimentos, de Cajamar, e Olima, de Itaquaquecetuba, foram interditadas, mas segundo a SES, se adequaram às normas de fabricação de alimentos e podem voltar a produzir. No entanto, os lotes dos produtos fabricados por elas antes da adequação continuam recolhidos. As três empresas se comprometeram a usar “óleo composto” nos rótulos e não mais “azeite”.

Também foram interditadas fábricas em Santana do Parnaíba e Guarulhos.

Outros nove estabelecimentos produtores de azeite no estado de São Paulo ainda serão vistoriados pela vigilância.

G1

Qual sua opinião sobre este assunto?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *